Área é cada vez mais essencial para o mundo corporativo, tanto por evitar custos e vazamentos de informações como para proteger a reputação da marca

Um dos tópicos que necessitam de mais atenção no mundo corporativo é a segurança cibernética, que abrange toda a parte de proteção dos ativos digitais de uma organização, o tratamento de ameaças e ataques, bem como as informações da empresa que são processadas, armazenadas e transmitidas por meio de sistemas interconectados em rede. É uma área cada vez mais essencial para o mundo corporativo, tanto por evitar custos e vazamentos de informações como para proteger a reputação das empresas.

A segurança cibernética será cada vez mais uma condição essencial para que empresas consigam gerar valor de forma consistente para seus acionistas dentro dos níveis de risco aceitáveis pela própria organização de acordo com seu perfil. Assim, é possível evitar os altos custos e as consequências graves de incidentes e ataques cibernéticos de maior escala e complexidade, os quais impactam negativamente os resultados financeiros e operacionais e a imagem e reputação da empresa no mercado.

Além dos custos diretos e imediatos de um incidente ou ataque cibernético, é importante ressaltar que outros custos indiretos também podem ocorrer ao longo do tempo. Por exemplo: investigações técnicas, notificação e proteção dos clientes, compliance regulatório, honorários de advogados, ações de relações públicas, melhorias dos sistemas e soluções de segurança, aumento dos preços das coberturas do seguro, perda de clientes e quebra de contratos, desvalorização da marca da companhia e perda de propriedade intelectual.

Em outras palavras, é muito mais eficaz e inteligente investir em prevenção de danos do que solucionar falhas cibernéticas depois que elas acontecem. É importante ressaltar que não são apenas empresas que atuam em áreas de atuação propensas a ataques cibernéticos, como bancos, por exemplo, que devem se preocupar com a segurança de seus ativos digitais. Todas as organizações, sem exceção, estão vulneráveis a falhas em seus softwares e hardwares que podem comprometer o funcionamento da companhia de maneira geral.

Dessa forma, as áreas de governança corporativa, gestão de riscos e compliance de segurança cibernética são componentes fundamentais para que as empresas consigam implementar e manter os níveis de segurança adequados às suas realidades e objetivos estratégicos. Dentro dessa área, é também importante investir em capacitação continuada. Esse é um fator crítico de sucesso para ter profissionais de alto desempenho, sempre atualizados, conseguindo assim colaborar de forma estratégia e eficiente.

As companhias que não investirem nesse setor ficarão vulneráveis a incidentes e ataques cibernéticos de maior escala e complexidade, que podem comprometer seu funcionamento e, em alguns casos, colocar em risco sua própria continuidade. Falhas e ataques cibernéticos são cada vez mais uma realidade que empresários devem estar preparados para enfrentar.

Fonte: Computerworld
Autor: José Fontenelle