Segundo pesquisa, riscos associados a notícias falsas e roubo de identidade estão entre aqueles com maior possibilidade de crescimento neste ano

Um novo relatório publicado pela seguradora Zurich aponta que 82% dos executivos entrevistados acreditam que os ciberataques realizados por hackers vão aumentar significativamente até o ano de 2020.

O levantamento em questão, que traz dados do relatório Global Risks Report 2019, foi produzido pela Zurich em parceria com a corretora de seguros Marsh e ouviu um total de 1 mil empresários, executivos e empreendedores que participaram do World Economic Forum (WEF), na Suíça.

Além disso, a pesquisa também aponta que dois terços dos executivos estimam que os riscos associados a notícias falsas e o roubo de identidade estão entre aqueles com maior possibilidade de crescimento ainda neste ano.

“A onipresença da computação em nuvem, junto com a interconectividade digital das empresas e seus fornecedores, levou um grupo cada vez maior de companhias a reconhecer sua vulnerabilidade”, afirma o Head de Linhas Financeiras da Zurich no Brasil, Fernando Saccon.

Vale notar que no ranking do relatório, à frente dessas ameaças cibernéticas, aparecem apenas os riscos ambientais (eventos climáticos extremos, falha na mitigação e adaptação às mudanças climáticas e grandes desastres naturais) – veja lista ao final do texto.

Problema geral Para o executivo da Zurich, os riscos cibernéticos não são mais apenas uma preocupação da área de TI (Tecnologia da Informação), nem estão limitados a determinados setores de uma organização. “Para proteger a integridade e a confiabilidade do ciberespaço, é preciso que haja união de forças entre governos, setor privado e sociedade”, diz.

5 principais riscos por probabilidade 1. Eventos climáticos extremos (por ex., inundações, tempestades, etc.) 2. Falha na mitigação e adaptação às mudanças climáticas 3. Grandes desastres naturais (por ex., terremoto, tsunami, erupção vulcânica, tempestades geomagnéticas) 4. Incidente maciço de fraude/roubo de dados 5. Ataques cibernéticos em grande escala Fonte: Relatório Global de Riscos 2019

Fonte: CIO