Confira como a tecnologia tem sido usada em vários mercados

O Blockchain está cada vez mais saindo das etapas de pesquisa e desenvolvimento e sendo aplicado ao mundo real. Um Blockchain é um livro-razão digital distribuído que está disponível para todas as partes, proporcionando transparência em toda a cadeia – e as empresas de negociação financeira, seguros e gerenciamento da cadeia de suprimentos estão observando a tecnologia muito de perto. Aqui estão alguns exemplos reais de uso de Blockchain. Confira.

  1. SAP experimenta rastreador na cadeia de fornecimento com Blockchain 
    A SAP está testando um rastreador de cadeia de suprimentos baseado em Blockchain projetado para trabalhar com qualquer fornecedor de produtos farmacêuticos e de agricultura. Até o momento, 16 empresas se inscreveram para pilotar a tecnologia SAP Cloud Platform Blockchain, incluindo Johnsonville, Naturipe Farms e Tate & Lyle. O software tem como objetivo aumentar a segurança nas cadeias de suprimentos e diminuir a chance de fraude.

Os usuários existentes da plataforma de nuvem SAP podem facilmente optar por testar a tecnologia Blockchain que será executada na parte superior do aplicativo. “Os clientes da SAP acessam e conectam seus aplicativos [baseados em nuvem] à sua plataforma Blockchain como uma opção que pode ser ativada”, disse Hala Zeine, presidente do grupo de Supply Chain e Manufatura da SAP.

  1. IBM desenvolve solução Blockchain para facilitar pagamentos transfronteiriços 
    A IBM desenvolveu uma solução bancária para ajudar instituições financeiras a processar pagamentos internacionais usando Blockchain.

A ideia é alavancar a tecnologia de contabilidade distribuída para reduzir o tempo de liquidação e reduzir o custo de processamento de pagamentos globais, além de oferecer maior transparência para todas as partes envolvidas nas transações.

A solução foi desenvolvida com base na plataforma Hyperledger Fabric de código aberto. A IBM fez parceria com a rede de Blockchain de código aberto Stellar.org para criar os “Lumens” que estão sendo negociados, e o provedor de serviços financeiros KlickEx Group para provar a solução, com o objetivo de distribuí-la aos bancos globais.

Em comunicado à imprensa, a IBM disse que a tecnologia poderia permitir que “um fazendeiro em Samoa assine um contrato comercial com um comprador na Indonésia. O blockchain seria usado para registrar os termos do contrato, gerenciar a documentação comercial, possibilitar ao agricultor obter garantias, cartas de crédito e finalizar os termos da transação com pagamento imediato”.

A IBM também lançou padrões de código de software livre para aplicativos Blockchain, bem como inteligência artificial (AI, na sigla em inglês), microsserviços e analytics. Esses padrões de código incluem pacotes de código reutilizável, repositórios do GitHub e recursos que explicam o código subjacente.

  1. Banco Mundial lança união de Blockchain para financiar o desenvolvimento sustentável
    O Banco Mundial, trabalhando com o Commonwealth Bank of Australia, anunciou que está lançando um Blockchain na Ethereum.

A plataforma Blockchain Ethereum foi selecionada devido à sua enorme comunidade ativa de desenvolvedores em todo o mundo. A infraestrutura será executada na plataforma de nuvem Azure da Microsoft.

O interesse dos investidores no título tem sido forte e os recursos serão direcionados para o financiamento do desenvolvimento sustentável.

Todos os anos, o Banco Mundial emite títulos de US$ 50 bilhões a US$ 60 bilhões para financiar projetos de desenvolvimento global. Por causa disso, o banco sempre esteve na vanguarda da inovação financeira, emitindo o primeiro título eletrônico em 2000.

  1. Kodak cria plataforma de propriedade intelectual de foto com base em Blockchain
    Depois de superar alguns obstáculos regulatórios, um sistema de copyright de imagem baseado em Blockchain, desenvolvido pela Wenn Digital com a Kodak, abriu uma oferta inicial de moedas (ICO, na sigla em inglês) em maio de 2018 com um teto de US$ 50 milhões.

As duas empresas desenvolveram uma “plataforma de gerenciamento de direitos de imagem” da KODAKOne para criar um livro digital de propriedade de direitos. Os fotógrafos poderão licenciar trabalhos novos ou arquivados na plataforma, na qual serão pagos na KODAKCoin, criptomoeda criada para o sistema.

A plataforma KODAKOne foi criada para rastrear constantemente a web em busca de violações de propriedade intelectual.

  1. De Beers fornece com sucesso o piloto Blockchain de rastreamento de diamantes
    O negócio de diamantes De Beers afirma ter rastreado com sucesso cem diamantes de alto valor ao longo da cadeia de suprimentos. Os fabricantes de diamantes Diacore, Diarough, KGK Group, Rosy Blue NV e Venus Jewel colaboraram com a De Beers para desenvolver o produto Tracr.

De acordo com o CEO da De Beers, Bruce Cleaver, o piloto demonstrou com sucesso que um diamante pode ser rastreado a partir da cadeia de suprimentos de maneira que não era possível antes.

O diretor-executivo da Rosy Blue NV, Amit Bhansali, afirmou: “A tecnologia já contribuiu significativamente para melhorar a transparência na indústria de diamantes. Iniciativas que usam Blockchain podem impulsionar esse processo ainda mais, já que sua implementação requer colaboração e criação de confiança entre todos os participantes do setor”.

A indústria de diamantes é controversa devido ao manuseio de “minerais de conflito”. Acredita-se que o Blockchain possa ajudar a garantir que eles não entrem na cadeia de suprimentos.

É claro que as empresas de mineração de diamantes “legítimas” também não têm controvérsias, com De Beers enfrentando críticas por desalojar indígenas para suas operações, descritas como um “genocídio” tribal pela Survival International.

  1. Ilha de Man usa Blockchain para evitar fraudes em egaming
    A Ilha de Man, conhecida também por ser uma espécie de paraíso fiscal na Grã-Bretanha, tem um setor próspero que seu governo acredita que pode ser impulsionado pelo Blockchain.

Em agosto de 2017, a ilha concedeu à empresa de jogos de azar Qanta uma licença para operar uma loteria com Blockchain usando a plataforma Ethereum.

Brian Donegan, diretor de operações de e-business da Ilha de Man, disse à Computerworld Reino Unido que o Blockchain reduzirá o risco de fraude na indústria de egaming.

“A imutabilidade e a resistência à censura oferecidas pela tecnologia é tal que podemos usar o Blockchain para manter o crime fora e proteger o consumidor”, disse ele.

  1. Serra Leoa realiza eleições presidenciais com Blockchain
    O país da África Ocidental Serra Leoa tornou-se o primeiro no mundo a realizar eleições presidenciais com a ajuda da tecnologia Blockchain.

A empresa suíça Agora diz que oferece votação descentralizada baseada em Blockchain. A companhia tem uma equipe de criptógrafos e cientistas de segurança, que alega ter ajudado a desenvolver uma plataforma para “melhorar radicalmente” a votação – tornando os votos à prova de falsificação, transparentes e verificáveis do início ao fim.

A Comissão Eleitoral Nacional da Serra Leoa trabalhou em estreita colaboração com a Agora para repensar o processo de votação nos distritos ocidentais em março deste ano. O registro manual usual era considerado um processo logístico lento e caro, mas a Agora diz que, com a tecnologia implementada, os resultados das eleições foram contados “dias à frente” da abordagem anterior.

A votação digital tem sido uma possibilidade há muito tempo, mas há questões sobre segurança – especialmente com sistemas proprietários de portas fechadas: eles podem ser adulterados e onde está a prova de que eles são transparentes ou livres de corrupção?

A Agora corajosamente afirma que pode ter resolvido esse problema e que a sua solução “inultrapassável” na Serra Leoa abre caminho para uma maior disseminação da votação baseada em Blockchain em todo o mundo.

Fonte: CIO
Autor: Redação CIO